COMO FAZER MASCARA CASEIRA

A Lei nº 13.969, de 06 de fevereiro de 2020 e a Portaria nº 327, de 24 de março
de 2020, que estabelecem medidas de prevenção, cautela e redução de riscos de transmissão
para o enfrentamento da COVID-19, fixam a utilização de Equipamentos de Proteção Individual
(EPIs).



O Ministério da Saúde tem realizado ações para adquirir esses produtos de
diversos fornecedores, tanto nacionais quanto internacionais, bem como ações no sentido de
descentralizar os recursos para apoiar os estados, municípios e Distrito Federal na compra
desses EPIs conforme suas necessidades. Contudo, diante do cenário da pandemia pelo COVID19, há escassez de EPIs em diversos países, em especial das máscaras cirúrgicas e N95/PFF2,
para o uso de profissionais nos serviços de saúde (Resolução de Diretoria Colegiada - RDC nº
356, de 23 de março de 2020).

A partir desse cenário, o Ministério da Saúde recomenda que máscaras
cirúrgicas e N95/PFF2 sejam priorizadas para os profissionais, considerando que os serviços de
saúde são os locais com maior potencial de concentração de vírus, ao mesmo tempo em que a
manutenção de suas atividades precisar ser garantida, mediante ações que visem a proteção
de profissionais e pacientes.

Pesquisas têm apontado que a utilização de máscaras caseiras impede a
disseminação de gotículas expelidas do nariz ou da boca do usuário no ambiente, garantindo
uma barreira física que vem auxiliando na mudança de comportamento da população e
diminuição de casos.

Nesse sentido, sugere-se que a população possa produzir as suas próprias
máscaras caseiras, utilizando tecidos que podem assegurar uma boa efetividade se forem bem
desenhadas e higienizadas corretamente. Os tecidos recomendados para utilização como
máscara são, em ordem decrescente de capacidade de filtragem de partículas virais:

a) - Tecido de saco de aspirador
b) - Cotton (composto de poliéster 55% e algodão 45%)
c) - Tecido de algodão (como camisetas 100% algodão)
d) - Fronhas de tecido antimicrobiano

O importante é que a máscara seja feita nas medidas corretas cobrindo
totalmente a boca e nariz e que esteja bem ajustada ao rosto, sem deixar espaços nas laterais.
Dado que, quanto maior a aglomeração de pessoas, maior a probabilidade de
circulação do vírus, o uso das máscaras caseiras faz especial sentido quando houver 

Postar um comentário

0 Comentários